Friday, September 29, 2017

Curso teórico e prático de Estimulação Magnética Transcraniana



5b7797_a403d58a2e0c48f6b34aab4b0bb5a915~mv2




 

Local: São Paulo – SP
24 de Outubro das 14h às 17h
Objetivo e publico alvo:
O objetivo deste curso é  preparação do médico para o uso clínico da Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva com eficácia e segurança.
Recomendamos a leitura do artigo publicado recentemente : “Evidence-based guidelines on the therapeutic use of repetitive transcranial magnetic stimulation”, onde a técnica foi reconhecida com grau de evidência A (definitivamente eficaz) para 2 indicações da EMT, em Neurologia e Psiquiatria, e o grau B para outras 2 indicações.
Serão apresentados conteúdos teóricos fundamentais para conhecimento da técnica e treinamento prático para sua aplicação.
Programação
Ministrado por: Prof Dr. Moacyr A. Rosa e Prof. Dra. Mercedes Jurema de Oliveira Alves
Conteúdo teórico:
  • A Estimulação Magnética Transcraniana e atualizações
  • Mecanismos fisiológicos da EMTr
  • Bobinas superficiais e profundas: semelhanças e diferenças
  • Novos paradigmas e sua utilização terapêutica:Teta burst, Priming, sincronização Efeitos Biológicos da EMT
  • Neuronavegação: perspectivas na prática clínica
  • Excitabilidade cortical: limiar motor, período silente e pulsos pareados
  • Segurança: riscos e contra-indicações
​Conteúdo Prático:
  • Sistema 10/20 de EEG: Método prático e fácil para marcação de pontos e localização de alvos terapêuticos
  • Obtenção de limiar motor
  • Posicionamento das bobinas e diferentes combinações de parâmetros terapêuticos na psiquiatria
  • O objetivo deste curso é a preparação do médico para o uso clínico da Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva com eficácia e segurança.
  • Recomendamos também a leitura dos artigos publicados recentemente aqui e aqui, onde a técnica foi reconhecida com grau de evidência A (definitivamente eficaz) para 2 indicações da EMT, em Neurologia e Psiquiatria, e o grau B para outras 2 indicações.
Para mais Informações ligue para Tricia:
(11) 2592-2029 icon_whatsapp(11) 99602-7169 (11) 96849-7169 ou pelo site Casa da Psiquiatria!

II Curso Paulista de Eletroconvulsoterapia Uma Versão Contemporânea

5b7797_2d7f634563354970856638795ece90aa~mv2





Início: 7h30
23 de outubro de 2017

Objetivo e publico alvo:

Público: Médicos (A inscrição só é efetivada com apresentação do CRM )
Objetivo: Com uma abordagem teórico-prática, os alunos obterão conhecimento e capacitação para realizar o tratamento com segurança e da maneira mais eficaz e moderna  disponível. A abordagem inclui desde conceitos básicos  dirigidos ao iniciante, como também  mais avançados para atualização profissional.

Programação:

Ministrado por: Prof Dr. Moacyr A. Rosa
  • Conteúdo programático
  • Bases físicas e Mecanismo de ação da ECT
  • História da ECT
Ministrado por: Prof. Dra. Mercedes Jurema de Oliveira Alves
  • Anestesia em ECT
  • Técnica de aplicação e dosagem do estímulo
  • Avaliação clínica, riscos e complicações
  • Efeitos adversos
  • ECT em populações especiais
Locais onde serão realizadas as aulas prática e teórica

Aula prática:

Das 07h30 às 11h30 – Clínica LipoMed Unity
Av. Indianópolis, 595 – Moema – São Paulo – SP

Aula teórica:

Das 14h30 às 18h
Hotel Mercure Nações Unidas
Rua: Professor Manoelito Ornellas 104
Chácara Santo Antonio – CEP: 04719040
São Paulo – SP

Organização Casa da Psiquiatria:

Para mais Informações ligue para Tricia:
(11) 2592-2029 icon_whatsapp(11) 99602-7169 (11) 96849-7169 ou pelo site Casa da Psiquiatria!

O IPAN também oferece estágio com vivência da prática diária! Mais informações (11) 50830342

Friday, September 22, 2017

Stembro Amarelo

“O medo de falar sobre pensamentos suicidas e ser julgado
faz com que as pessoas se calem”.

Confira a campanha de setembro amarelo do IPAN e nossos tratamentos!

http://bit.ly/2wjxuAI

#ipan #setembroamarelo #tratamento #suicidio

Tuesday, September 19, 2017

Curso teórico e prático de Estimulação Magnética Transcraniana




5b7797_a403d58a2e0c48f6b34aab4b0bb5a915~mv2








 

Local: São Paulo – SP
24 de Outubro das 14h às 17h

Objetivo e publico alvo:
O objetivo deste curso é  preparação do médico para o uso clínico da Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva com eficácia e segurança.
Recomendamos a leitura do artigo publicado recentemente : “Evidence-based guidelines on the therapeutic use of repetitive transcranial magnetic stimulation”, onde a técnica foi reconhecida com grau de evidência A (definitivamente eficaz) para 2 indicações da EMT, em Neurologia e Psiquiatria, e o grau B para outras 2 indicações.
Serão apresentados conteúdos teóricos fundamentais para conhecimento da técnica e treinamento prático para sua aplicação.
Programação
Ministrado por: Prof Dr. Moacyr A. Rosa e Prof. Dra. Mercedes Jurema de Oliveira Alves
Conteúdo teórico:
  • A Estimulação Magnética Transcraniana e atualizações
  • Mecanismos fisiológicos da EMTr
  • Bobinas superficiais e profundas: semelhanças e diferenças
  • Novos paradigmas e sua utilização terapêutica:Teta burst, Priming, sincronização Efeitos Biológicos da EMT
  • Neuronavegação: perspectivas na prática clínica
  • Excitabilidade cortical: limiar motor, período silente e pulsos pareados
  • Segurança: riscos e contra-indicações
​Conteúdo Prático:
  • Sistema 10/20 de EEG: Método prático e fácil para marcação de pontos e localização de alvos terapêuticos
  • Obtenção de limiar motor
  • Posicionamento das bobinas e diferentes combinações de parâmetros terapêuticos na psiquiatria
  • O objetivo deste curso é a preparação do médico para o uso clínico da Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva com eficácia e segurança.
  • Recomendamos também a leitura dos artigos publicados recentemente aqui e aqui, onde a técnica foi reconhecida com grau de evidência A (definitivamente eficaz) para 2 indicações da EMT, em Neurologia e Psiquiatria, e o grau B para outras 2 indicações.
Para mais Informações ligue para Tricia:
(11) 2592-2029 icon_whatsapp(11) 99602-7169 (11) 96849-7169 ou pelo site Casa da Psiquiatria!

Monday, September 11, 2017

Dr. Moacyr fala para o Domingo Espetacular

Domingo Espetacular revela detalhes sobre perfil do falso fotógrafo de guerra

 Dr. Moacyr fala no Domingo Espetacular – Rede Record sobre a Mitomania, ou seja, a mentira compulsiva.
 
Um falso fotógrafo de guerra que acaba de ser desmascarado. Ele se dizia brasileiro e tinha milhares de seguidores na internet. Boa pinta, o falso fotógrafo enganou todo mundo e até ganhou dinheiro com fotos roubadas. A equipe do Domingo Espetacular mostra o que deu errado para o farsante depois de uma aventura que durou pelo menos dois anos.

Confira Aqui!

Monday, September 4, 2017

Suicídio do vocalista do Linkin Park comprova: precisamos debater muito sobre depressão e outros transtornos

Suicídio do vocalista do Linkin Park comprova: precisamos debater muito sobre depressão e outros transtornos
Líder de uma das maiores bandas de rock da atualidade, Chester Bennington tinha seis filhos, esposa, estava com a vida supostamente ganha e foi encontrado enforcado em sua casa, no dia 20 de julho de 2017, perto de Los Angeles. Nesse mesmo dia, um de seus melhores amigos estaria comemorando 53 anos, o também cantor Chris Cornell, líder de outra grande banda de rock, o Audioslave. Chris Cornell também era bem-sucedido, com três filhos e uma vida bastante estável, mas, dois meses antes, também se enforcou.
A fama e o dinheiro não conseguiram amenizar o sofrimento dessas pessoas públicas que enfrentavam barreiras psicológicas e emocionais que não foram expostas ao público. Quando uma pessoa comete suicídio não significa que queira aparecer ou mostrar ao mundo que é possível desafiar a vida. É só uma forma de dar fim ao seu sofrimento. Um sofrimento que, muitas vezes, fica camuflado por uma vida dos sonhos.

Outros famosos também tiveram essa iniciativa de tirar a própria vida, veja alguns exemplos:
Leila Lopes, atriz que trabalhou na Rede Globo e fez muito sucesso na novela “O Rei do Gado”. Apesar de ser linda e talentosa, foi encontrada morta em seu apartamento. Ela sofria de depressão e resolveu dar fim à vida tomando veneno de rato.

Heath Ledger, talvez muitos não o conheçam pelo nome, mas o ator, que sofria de depressão, ficou famoso por interpretar o personagem icônico ‘Coringa’ nos cinemas. Ele acabou morrendo após misturar uma grande quantidade de medicamentos que o levou a uma intoxicação forte.
Robin Williams, ator renomado, também resolveu acabar com seu sofrimento se enforcando. Muitos acreditam que a principal causa de sua morte foi a depressão, porém, sua mulher revelou que ele sofria de uma doença chamada “DCL – Demência com Corpúsculos de Lewy”, uma doença neurodegenerativa que altera o estado de ânimo, os movimentos, causa alucinações e aumento exagerado da ansiedade.

Temos ainda os que tentaram se suicidar, mas sem sucesso. Veja alguns exemplos:
Britney Spears, de acordo com uma biografia não autorizada, a cantora tentou suicidar-se duas vezes em 2006, uma delas quando perdeu a guarda dos filhos.
Drew Barrymore, tentou suicidar-se cortando os pulsos com uma faca de cozinha quando tinha apenas 14 anos.
Oprah Winfrey, ela revelou durante uma entrevista que, ao descobrir estar grávida aos 14 anos, pensou várias vezes em se matar bebendo detergente.
Demi Lovato, falou abertamente em entrevista que tentou suicídio antes mesmo dos 10 anos de idade por conta de distúrbios mentais.
Paris Jackson, filha de Michael Jackson, em 2013, foi levada ao hospital após uma tentativa de suicídio.
Ozzy Osbourne, já confessou que tentou cometer suicídio várias vezes, o mais cedo quando tinha apenas 14 anos.
A Organização Mundial da Saúde alerta que 10% da população mundial sofre com algum tipo de transtorno mental. E todos nós estamos expostos. Esses transtornos vão desde uma ansiedade leve à depressão profunda e podem nos levar a consequências extremas, como a tentativa de suicídio.
Por isso, quando se sentir angustiado, procure a ajuda de um profissional ou mesmo o aconselhamento de parentes próximos. Não guarde para você, não sofra calado. Vença os seus medos e fale sobre o suicídio.
E você que não tem transtornos mentais e pensamentos suicidas, mas pode se ver em uma situação muito próxima de pessoas que sofrem com isso, entenda que trata-se de uma doença, e que quem sofre merece respeito, carinho e, principalmente, que você vença o seu próprio preconceito.

Setembro Amarelo: campanha de combate ao suicídio

setembro-amarelo

Vamos falar de suicídio?

Você sabia que, todos os dias, 32 brasileiros tiram a própria vida e que mais de 20 mil pessoas cometem suicídio ao redor do planeta?
Por ano são quase 1 milhão de pessoas que se matam, uma a cada 40 segundos – são mais vítimas que todas as guerras, homicídios e conflitos civis somados. E, para cada morte por suicídio, existem outras 10 ou 20 pessoas que já tentaram e não obtiveram êxito.
Os números são alarmantes, mas o Brasil é um país com índices baixos (6 casos por 100 mil habitantes, contra 12 da média mundial). No entanto, enquanto os índices têm caído na maioria dos países, as taxas brasileiras avançam. Entre 2002 e 2012, o número de casos subiu 34%.
Entre adolescentes de 10 a 14 anos, o aumento chegou a 40% de acordo com levantamento do Mapa da Violência. Em geral, as motivações que levam adolescentes a terem comportamentos suicidas são complexas, podemos citar o suicídio de figuras proeminentes ou de pessoas conhecidas pessoalmente, e até mesmo o fenômeno dos suicidas em grupo ou de comunidades semelhantes que encaram o comportamento suicida como um estilo de vida.
Outro grupo que tem taxas elevadas de suicídio são os idosos. As motivações também são diversas, ou pela perda de parentes, sobretudo do cônjuge, por solidão, enfermidades degenerativas ou dolorosas, e até pela sensação de dar muito trabalho à família.
Falando ainda sobre dados estatísticos, é curioso notar que o suicídio é cerca de três vezes maior entre os homens do que entre as mulheres. No entanto, as tentativas de suicídio são, em média, três vezes mais frequentes entre as mulheres.

Veja abaixo os principais fatores de risco associados ao comportamento suicida.

Doenças mentais
. Depressão
. Transtorno bipolar
. Transtornos mentais relacionados ao uso de álcool e de outras substâncias
. Transtornos de personalidade
. Esquizofrenia
. Aumento do risco com associação de doenças mentais: paciente bipolar que também seja dependente de álcool terá risco maior do que se ele não tiver essa dependência
Aspectos sociais
. Gênero masculino
. Idade entre 15 e 30 anos e acima de 65 anos
. Sem filhos
. Moradores de áreas urbanas
. Desempregados ou aposentados
. Isolamento social
. Solteiros, separados ou viúvos
. Populações especiais: indígenas, adolescentes e moradores de rua
Aspectos psicológicos
. Perdas recentes
. Pouca resiliência
. Personalidade impulsiva, agressiva ou de humor instável
. Ter sofrido abuso físico ou sexual na infância
. Desesperança, desespero e desamparo
Condição de saúde limitante
. Doenças orgânicas incapacitantes
. Dor crônica
. Doenças neurológicas (epilepsia, Parkinson, Hungtinton)
. Trauma medular
. Tumores malignos
. AIDS
Suicidabilidade
Ter tentado suicídio, ter familiares que tentaram ou se suicidaram, ter ideias e/ou planos de suicídio.

Agora veja os principais fatores protetores do suicídio.

. Boa autoestima
. Bom suporte familiar
. Laços sociais bem estabelecidos com a família e amigos
. Religiosidade, independente de afiliação religiosa
. Razão para viver
. Ausência de transtorno mental
. Estar empregado
. Capacidade de adaptação e resolução positiva de problemas
. Acesso a serviços e cuidados de saúde mental
É provável que você não conheça esses dados, e sabe por que não os conhece? Porque o suicídio costuma vir acompanhado de um fator que contribui para o seu alastramento: o silêncio.

Falar é a melhor solução!

É por isso que o Setembro Amarelo foi criado. O movimento acontece todos os anos no mês de setembro em todo o mundo e tem como ponto de atenção o dia 10 – Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Iniciado no Brasil em 2014 pelo CVV – Centro de Valorização da Vida, CFM – Conselho Federal de Medicina e ABP – Associação Brasileira de Psiquiatria, tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre essa questão de saúde pública, divulgando, esclarecendo e estimulando a prevenção, pois, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos, com a ajuda e atenção de quem está por perto. Durante todo o mês, inúmeros monumentos ganham iluminação amarela para chamar a atenção da população em várias cidades do país. São feitas também ações de rua, como caminhadas, passeios de bicicleta e motocicleta, abordagens em locais públicos, além de palestras, workshops e muitas outras ações, tudo para que possamos quebrar tabus e vencer o preconceito.

Hoje, quem sofre, sofre calado. O medo de falar sobre pensamentos suicidas e ser julgado faz com que as pessoas se calem. No entanto, o que essas pessoas sentem é mais comum do que se divulga, e é importante que sabiam que muitas outras pessoas também sofrem. Amigos, familiares e pessoas próximas, em geral, têm a sensação de que não podem ajudar, pensam que, por não saberem identificar os sinais ou por não terem familiaridade com a abordagem mais adequada, nunca vão conseguir oferecer ajuda. Mas isso não é verdade.

Entender que a doença mental é uma condição séria e fora do controle de quem sofre, é o primeiro passo para vencer preconceitos e poder oferecer ajuda a quem precisa. Sua conscientização e adesão nos ajudará a conscientizar mais e mais pessoas. Se tiver uma camiseta ou qualquer outro item de vestuário amarelo, tire do armário e use em setembro. Informe-se sobre as ações do Setembro Amarelo, alerte seus amigos e familiares e participe! Quanto mais falamos e nos engajamos, mais contribuímos para a prevenção e diminuição do número de vítimas fatais do suicídio.
Informações sobre fatores de risco extraídas da Cartilha “Suicídio – informando para prevenir”, página 23. Acesse o conteúdo completo clicando aqui.