Thursday, April 28, 2016

Depressão: a dor psicológica e seus tratamentos




A depressão e seus principais sintomas

Em algum momento, é natural nos sentirmos deprimidos ou tristes. Faz parte da vida, só não podemos permitir que esses sentimentos tornem-se uma constante, e se estabeleçam acompanhados de perda de sentido das coisas, desânimo profundo, vontade de não levantar da cama, problemas de estômago, mudança de apetite, insônia. É importante estar atento, pois são nessas ocasiões que, de forma silenciosa, a depressão pode se instalar e não ser diagnosticada ou tratada. O melhor a fazer, quando você ou alguém que você ama apresentar esses sintomas por um período prolongado, é procurar ajuda de um especialista para um diagnóstico preciso. Depressão tem tratamento. Conheça abaixo alguns dos tratamentos realizados no IPAN e tenha a certeza que é possível viver sem essa dor.

Tipos de Tratamento da Depressão

Não é fácil decidir qual tratamento da depressão adotar. A decisão envolve paciente, familiares e médico e só deve ser tomada quando não restarem dúvidas ou inseguranças. Por isso, como clínica especializada no tratamento da depressão e absolutamente responsável, somos muito cuidadosos na avaliação, levando em conta o histórico do paciente para decidir, em conjunto, pela melhor alternativa. Conheça os principais tratamentos:

• Tratamento com Remédios

tratamento-da-depressao
As medicações, principalmente combinadas à psicoterapia, constituem o tratamento mais utilizado na atualidade para depressão. Existem vários tipos de medicamentos, cada um com seu modo de ação principal e perfil de efeitos colaterais, mas todos com o objetivo de procurar o equilíbrio das substâncias químicas naturais do cérebro, melhorando o humor e as respostas emocionais do paciente. O ideal é que, após uma avaliação cuidadosa, o paciente seja acompanhado durante todo o tratamento com medicamento, pois é primordial avaliar a resposta para, dependendo das circunstâncias, manter ou indicar novo medicamento ou método de tratamento.

• Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)

tratamento da depressão com estimulação magnética
Esse tratamento é absolutamente moderno, seguro e eficaz. Em geral é indicado a pacientes que não respondem a antidepressivos ou que não toleram os efeitos colaterais de medicamentos. A técnica consiste em estimular o cérebro por meio de pulsos magnéticos, com o objetivo de incitar o sistema regulador do humor, aliviando os sintomas da depressão. O procedimento é indolor e não invasivo. As sessões são diárias, de aproximadamente 30 minutos, e podem ser realizadas em clínica ou consultório médico com o paciente acordado. São comuns relatos de leves desconfortos, principalmente nas primeiras sessões, como dor de cabeça leve e vermelhidão local, mas esses sintomas desaparecem logo após as aplicações.
Assista o vídeo abaixo do Dr. Moacyr Alexandro Rosa do IPAN e saiba mais sobre a Estimulação Magnética.

• Eletroconvulsoterapia (ECT)


tratamento da depressão com eletroconvulsoterapia
Existe certo preconceito e até falta de informação em relação a esse tratamento, que é confundido com outros dolorosos ou antiquados. Seguro, eficaz e indolor, o método é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina e pela ANVISA, e utilizado nos melhores e mais conceituados hospitais do mundo. A técnica consiste em estimular o cérebro com uma descarga elétrica que induz a uma crise convulsiva de, aproximadamente, 30 segundos, em sessões realizadas em ambiente hospitalar com anestesia para que não haja nenhum tipo de desconforto. O paciente é liberado no mesmo dia e, na maioria dos casos, são recomendadas de 6 a 12 sessões. Vale lembrar que o procedimento pode salvar a vida de pacientes com certos tipos de transtornos, inclusive a depressão, nos quais outras intervenções tiveram pouco ou nenhum efeito. Clique aqui e veja mais informações sobre a Eletroconvulsoterapia.




A depressão e seus principais sintomas

Em algum momento, é natural nos sentirmos deprimidos ou tristes. Faz parte da vida, só não podemos permitir que esses sentimentos tornem-se uma constante, e se estabeleçam acompanhados de perda de sentido das coisas, desânimo profundo, vontade de não levantar da cama, problemas de estômago, mudança de apetite, insônia. É importante estar atento, pois são nessas ocasiões que, de forma silenciosa, a depressão pode se instalar e não ser diagnosticada ou tratada. O melhor a fazer, quando você ou alguém que você ama apresentar esses sintomas por um período prolongado, é procurar ajuda de um especialista para um diagnóstico preciso. Depressão tem tratamento. Conheça abaixo alguns dos tratamentos realizados no IPAN e tenha a certeza que é possível viver sem essa dor.

Tipos de Tratamento da Depressão

Não é fácil decidir qual tratamento da depressão adotar. A decisão envolve paciente, familiares e médico e só deve ser tomada quando não restarem dúvidas ou inseguranças. Por isso, como clínica especializada no tratamento da depressão e absolutamente responsável, somos muito cuidadosos na avaliação, levando em conta o histórico do paciente para decidir, em conjunto, pela melhor alternativa. Conheça os principais tratamentos:

• Tratamento com Remédios

tratamento-da-depressao
As medicações, principalmente combinadas à psicoterapia, constituem o tratamento mais utilizado na atualidade para depressão. Existem vários tipos de medicamentos, cada um com seu modo de ação principal e perfil de efeitos colaterais, mas todos com o objetivo de procurar o equilíbrio das substâncias químicas naturais do cérebro, melhorando o humor e as respostas emocionais do paciente. O ideal é que, após uma avaliação cuidadosa, o paciente seja acompanhado durante todo o tratamento com medicamento, pois é primordial avaliar a resposta para, dependendo das circunstâncias, manter ou indicar novo medicamento ou método de tratamento.

• Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr)

tratamento da depressão com estimulação magnética
Esse tratamento é absolutamente moderno, seguro e eficaz. Em geral é indicado a pacientes que não respondem a antidepressivos ou que não toleram os efeitos colaterais de medicamentos. A técnica consiste em estimular o cérebro por meio de pulsos magnéticos, com o objetivo de incitar o sistema regulador do humor, aliviando os sintomas da depressão. O procedimento é indolor e não invasivo. As sessões são diárias, de aproximadamente 30 minutos, e podem ser realizadas em clínica ou consultório médico com o paciente acordado. São comuns relatos de leves desconfortos, principalmente nas primeiras sessões, como dor de cabeça leve e vermelhidão local, mas esses sintomas desaparecem logo após as aplicações.
Assista o vídeo abaixo do Dr. Moacyr Alexandro Rosa do IPAN e saiba mais sobre a Estimulação Magnética.

• Eletroconvulsoterapia (ECT)

tratamento da depressão com eletroconvulsoterapia
Existe certo preconceito e até falta de informação em relação a esse tratamento, que é confundido com outros dolorosos ou antiquados. Seguro, eficaz e indolor, o método é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina e pela ANVISA, e utilizado nos melhores e mais conceituados hospitais do mundo. A técnica consiste em estimular o cérebro com uma descarga elétrica que induz a uma crise convulsiva de, aproximadamente, 30 segundos, em sessões realizadas em ambiente hospitalar com anestesia para que não haja nenhum tipo de desconforto. O paciente é liberado no mesmo dia e, na maioria dos casos, são recomendadas de 6 a 12 sessões. Vale lembrar que o procedimento pode salvar a vida de pacientes com certos tipos de transtornos, inclusive a depressão, nos quais outras intervenções tiveram pouco ou nenhum efeito. Clique aqui e veja mais informações sobre a Eletroconvulsoterapia.

Quem já foi tratado no IPAN  

 

Agende uma consulta

Dr. Moacyr apresenta trabalho em Congresso Internacional

Dr. Moacyr apresenta palestra no Encontro Internacional da Associação de ECT e Neuroestimulação – International Society for ECT and Neurostimulation (ISEN) 2016 ANNUAL MEETING

15 de Maio, 2016 – Atlanta, Georgia

dr-Moacyr-rosa-psiquiatra-ipan-sp
Dr. Moacyr Rosa, diretor do IPAN


A palestra é sobre a eficácia e segurança da Estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr) no tratamento da depressão. Mais de 500 pacientes com depressão foram tratados com EMTr ao longo de 8 anos. Devido à gravidade e refratariedade dos casos, os parâmetros de tratamento utilizados estavam no limite superior dos padrões utilizados.

A EMT foi considerada segura e eficaz para o tratamento da depressão nessa população. Não houve efeitos colaterais graves ou complicações.

A Associação Internacional de Eletroconvulsoterapa (ECT) e Neuroestimulação (ISEN), antigamente chamada de Associação de ECT, foi criada em 1976. É uma organização internacional sem fins lucrativos, dedicada a promover a segurança, ética e uso eficaz da ECT e outras terapias de neuroestimulação para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas.

Dra. Marina apresenta trabalho em Congresso Internacional





Dra. Marina apresenta trabalho em Congresso Internacional

Dr. Marina apresenta trabalho no Encontro Internacional de ECT e Neuroestimulação  – International Society for ECT and Neurostimulation (ISEN) 2016 ANNUAL MEETING

15 de Maio, 2016 – Atlanta, Georgia
dra-Marina-Odebrechtd-rosa-psiquiatra-ipan-sp

O trabalho apresenta o relato de caso de depressão refratária, inclusive ao tratamento com eletroconvulsoterapia (ECT) e com estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr) clássica. Paciente recebeu 20 sessões de estimulação magnética profunda – Brainsway e apresentou melhora satisfatória.
A estimulação magnética profunda – Brainsway, tem uma bobina em forma de capacete, que gera breves campos magnéticos, semelhantes aos utilizados nos aparelhos de ressonância magnética, que ativam regiões cerebrais mais profundas, com objetivo de regular o humor.
A Associação Internacional de ECT e Neuroestimulação (ISEN), antigamente chamada de Associação de ECT, foi criada em 1976. É uma organização internacional sem fins lucrativos, dedicada a promover a segurança, ética e uso eficaz da ECT e outras terapias de neuroestimulação para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas.